Prata Mapuche

O artesanato ao sul.

 

Uma das coisas menos interessantes nisto dos trapos, e sem dúvida a mais recorrente, é o seguimento de uma moda. Ao fim de duas semanas sem ter dado grande importância aos blogs que costumo acompanhar, estes últimos dias, mais tranquilos, pus a "leitura" em dia e reparo que, de uma forma ou de outra, tudo segue igual. As revistas eligem uma cor e passa a ser a cor que mais se vê, seja ela bonita ou feia, as marcas continuam a ser seguidas como se de uma religiao se tratasse, os shapes sao actualizados nos armários, ficando bem ou mal no corpo de quem os usa.

 

Uma das melhores coisas das viagens é a abertura a uma cultura de gosto completamente diferente daquela que conhecemos como "a boa". Conhecer o folclore e a tradiçao dos povos que visitamos e participando dele, seja no querer saber como e porquê se faz, seja no comprar e colaborar para a sua divulgaçao e crescimento, é o outro lado bom de sair de casa. Para nao falar do exclusivo que se torna chegar a casa e ter aquilo que poucos conseguem ter. Pelo menos até alguém dizer que está na moda e  todaaa gente começar a usar... mas já o made in China, efectivamente. E aí tudo perde identidade!

 

Estamos pelo sul do Chile. E tanto ao atravessar a Patagónica Argentina como ao cruzar a sua parte Chilena, somos invadidos pela presença mais ou menos notória dos seus povos nativos. Entre eles estao os Indios Mapuche. E a beleza do seu artesanato!

 

Entre os tecidos, os ponchos e artefactos de madeira é dificil escolher o que comprar. Mas de tudo, o que mais salta aos olhos é a delicada e ao mesmo tempo marcante prata. As nativas continuam a usa-la, de forma exagerada como diz a tradiçao, em forma de colares, brincos, tiaras ou acessórios para o cabelo. Os aneis sao lindissimos, muitas vezes com detalhes de lapiz lazuli.

 

Num outfit mais europeu, um colar Mapuche preenche o vazio de uma t-shirt branca, dando o toque diferente e de personalidade a quem o usa. Vá... apaixonem-se, tal como eu : )


 

 

 

 

publicado por Marta às 00:18 | link do post | partilhar